OFICINA IDEAL

Encontre aqui seu fornecedor ideal Mais de 2.000 empresas cadastradas, mais de 3.000 produtos e serviços disponíveis
Entidades Colaboradoras
Esqueceu sua senha? Não tem login e senha? Cadastre-se aqui!




29/01/2014 Tendência

Com crescente roubo de carros em SP, frota blindada também registra aumento

Dados da polícia divulgados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo revelam que o número de veículos roubados no estado em dezembro de 2013 foi o maior em 12 anos. Foram 9.628 casos. Somados com os casos de furto, no acumulado do ano foram 215 mil casos, um aumento de 10,1% em comparação com 2012. O crescimento dessas modalidades de delito também vem acompanhado pelo aumento da blindagem automotiva. O levantamento ainda não foi concluído, mas a estimativa da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin) é que o setor tenha batido novo recorde em 2013, com cerca de 10 mil carros tendo recebido a proteção.
 
De acordo com a Abrablin, São Paulo é o estado que mais blinda automóveis. “Desde 1995, quando a entidade iniciou as pesquisas, o estado paulista aparece no topo do ranking. No primeiro semestre de 2013, foi responsável por 70% da produção nacional”, afirma Laudenir Bracciali, presidente da entidade. Rio de Janeiro, com 12%, aparece em segundo na lista, seguido por Pernambuco, com 4%. Amazonas (3%) e Pará (2%) completam o “Top 5” da blindagem no país.
 
Nos primeiros seis meses do ano passado foram blindados 4.769 veículos no país, um aumento de 11,55% em comparação ao mesmo período de 2012, quando 4.275 carros receberam a proteção.
“Não há novidade que explique o contínuo aumento do setor. A sensação de insegurança é o fator determinante das pessoas na busca por esse tipo de proteção”, explica Bracciali.
 
O medo não é sem razão. O risco de mortes nos assaltos – o latrocínio – é real. Segundo o governo, cerca de 50% dos latrocínios ocorridos em São Paulo estão ligados a roubos de veículos.
 
Para o diretor da Concept Blindagens, de São Paulo, Fábio Rovêdo de Mello, “embora não existam dados oficiais, é sabido que o risco de crimes como o furto e o roubo de veículos são minimizados em carros com a proteção blindada. Por essa razão, é muito comum que vítimas que passaram por esses sustos nos procurem e invistam na blindagem como alternativa de se garantir mais segurança”, afirma. “Muitos, inclusive, trocam de carro, compram um modelo menos luxuoso para aplicar o dinheiro na proteção”, diz o executivo.
 
Perfil do usuário
 
O levantamento da Abrablin revela também o perfil do usuário de blindagem no primeiro semestre de 2013. Os homens compõem 57,5% do universo blindado, sendo a maioria (23%) na faixa etária dos 30 a 39 anos. As mulheres já representam 42,5% do segmento, tendo a maior parte (22,8%) de 40 a 49 anos de idade.
Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada




09/01/2014 Tendência

Em quatro anos, reprovações na inspeção ambiental veicular caem 43%

Levantamento feito pela Controlar comprova que o programa de inspeção ambiental veicular tem contribuído para a melhora da regulagem da frota de veículos licenciada em São Paulo, que passa pela inspeção anualmente. Uma comparação, entre fevereiro e novembro deste ano com o mesmo período dos três anos anteriores, mostra que o número de reprovações na inspeção vem caindo ano a ano.

Segundo balanço da Controlar houve uma queda de 43% no número de reprovações nestes meses entre 2010 e 2013 (ver quadro abaixo). Foram 125.351 veículos reprovados em 2010, 108.492 em 2011, 89.552 em 2010 e 73.896 neste ano. “Esses dados demonstram que, nos últimos quatro anos, a população da cidade de São Paulo se conscientizou da importância de manter os carros regulados e passou não apenas a contribuir para uma melhor qualidade do ar, mas também para uma melhor fluidez no trânsito”, afirma o diretor-presidente da Controlar, Marcos Brandão.

Para Antônio Fiola, presidente do Sindirepa-SP (Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios de São Paulo), é possível notar uma mudança de cultura nos proprietários de veículos desde que foi implantada a inspeção veicular. “O motorista que, em sua maioria, procurava uma oficina mecânica apenas para corrigir algum defeito, passou a se preocupar mais com a manutenção preventiva de seu veículo”, explicou o presidente.

Os benefícios gerados pelo programa de inspeção ambiental veicular vão além da regulagem da frota e seu impacto na melhoria do ar e da saúde das pessoas, conforme atestou recente pesquisa feita pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Um carro bem regulado, além de economizar combustível, tem menor índice de quebra e, portanto, prejudica menos o trânsito de nossa cidade. Segundo estudo do professor de engenharia de tráfego João Cucci Neto, do Mackenzie, publicado na Revista Veja São Paulo, um veículo parado por 30 minutos na marginal ocasiona um congestionamento médio de 4,3 quilômetros.

A Controlar, no decorrer desses quatro anos de serviços prestados, também contribuiu para essa queda. Nos anos de 2012 e 2013, após verificar a falta de informação e dúvidas dos profissionais da reparação automotiva sobre os principais motivos de rejeição e reprovação na inspeção ambiental veicular elaborou, em parceria com o Sindirepa e Sebrae, um curso especial para mecânicos. Nesse período, a concessionária treinou gratuitamente cerca de quatro mil mecânicos, com o objetivo de orientá-los na regulagem do veículo.

Além dessa ação, a Controlar distribui nos centros de inspeção e deixa à disposição em seu site um check-list com informações e dicas para a regulagem correta do veículo. 

Fonte: Controlar




07/01/2014 Tendência

Autopeças certificadas garantem segurança ao consumidor

O consumidor passa a contar com mais segurança na hora de adquirir autopeças no mercado de reposição. Desde 2009, o Inmetro tem realizado diversos programas de avaliação da conformidade, com objetivo de informar e proteger o consumidor, principalmente no que diz respeito a questão de saúde, segurança e meio ambiente, além de promover a melhoria contínua da qualidade, a concorrência leal, facilitar o comércio internacional e reforçar o mercado interno.

Atualmente, 21 componentes automotivos estão listados como certificação compulsória (obrigatória), sendo que atualmente 16 deles só podem ser fabricados com o selo do Inmetro: pino-rei, 5ª roda automotiva, vidros, rodas, líquido de freio, arla 32, amortecedor, buzina, pistões de liga leve de alumínio, pinos e anéis de trava, anéis de pistão, bronzinas, lâmpadas, bomba elétrica de combustível e baterias.

"Os demais cinco produtos (terminais de direção, barras de direção, barras de ligação, terminais axiais e plataformas elevatórias veiculares) devem ser fabricados com o selo do Inmetro a partir de novembro de 2014", informa Sergio Kina, gerente técnico do IQA - Instituto da Qualidade Automotiva, organismo de certificação acreditado pelo Inmetro, criado e dirigido pela Anfavea, Sindipeças, Sindirepa e outras entidades do setor.

Especializado, o IQA atua exclusivamente no setor automotivo e é dirigido por executivos de primeiro escalão da indústria automotiva, representantes do governo e associações de classe (Anfavea, Sindipeças, Sindirepa, entre outros), e portanto possui corpo técnico com vasta experiência no setor. Assim, ao escolher o IQA, a empresa obtém um diferencial reconhecido pelas montadoras e indústria automotiva.

Produto importado - Com diversas parcerias internacionais, o IQA está apto a realizar todas as atividades necessárias para a certificação de produtos para o mercado brasileiro, de acordo com as normas especificadas, ao redor do mundo. "Isso nos permite agilizar processos, uma vez que contamos com equipes treinadas e capacitadas especialmente para atender nosso mercado", afirma Kina.

Entre os países que contam com representatividade do Instituto, destaque para China, Tailândia, Índia, Coréia do Sul, África do Sul, EUA, México, Europa, Indonésia e Japão. “Uma das vantagens de contar com representantes no exterior é a facilidade no atendimento, uma vez que o cliente é atendido no idioma local, e sem custos de translado”, diz.

Fiscalização - Diante da obrigatoriedade da certificação, os fabricantes e importadores ficam sujeitos à fiscalização, realizada pela Rede Brasileira de Metrologia e Qualidade, que promove ações de verificação da conformidade durante o ano.

Fonte: Companhia de Imprensa




18/12/2013 Tendência

Produção de 2013 já supera resultado do ano anterior

A produção brasileira de autoveículos em 2013 superou pela primeira vez na história a barreira dos 3,5 milhões de unidades – mesmo sem contar com o desempenho do último mês do ano. As informações são da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, e foram divulgadas na quinta-feira, 5, em São Paulo, SP.

O acumulado do ano aponta crescimento de 11,8% ao se comparar as 3,5 milhões de unidades de 2013 com as 3,1 milhões do ano anterior. O resultado dos onze meses decorridos deste ano já é maior que todo 2012 e também 2011, até então o melhor da história em produção. No comparativo mensal, as 289,6 mil unidades de novembro representam retração de 8% com relação ao mesmo mês de 2012 e de 10,7% sobre outubro de 2013.

Outro recorde foi registrado na produção de máquinas agrícolas. De janeiro a novembro foram produzidas 94 mil unidades – primeira vez que a casa dos 90 mil foi ultrapassada –, alta de 20,7% contra as 77,9 mil de igual período de 2012. Só no mês de novembro foram produzidas 8,3 mil máquinas, acréscimo de 21% ante as 6,9 do mesmo mês de 2012 e decréscimo de 16,2% com relação as 9,9 mil de outubro deste ano.

Luiz Moan Yabiku Junior, presidente da Anfavea, reforça os três pilares responsáveis pelos expressivos resultados de produção: “O estímulo à produção nacional gerado pelo Inovar-Auto, o forte desempenho do setor de agronegócios e as exportações são fatores que sustentam o crescimento recorde da produção brasileira”.

Nas exportações, o acumulado está 29,4% superior a 2012, quando se defrontam as 522,9 mil deste ano com as 404 mil do ano passado. As 45,2 mil unidades que deixaram o País em novembro de 2013 significam aumento de 23,9% contra mesmo mês do ano anterior e queda de 12,7% com relação a outubro passado.

O segmento de máquinas agrícolas também registrou recuo tanto na comparação mensal quanto na acumulada. Em novembro foram exportadas 1,5 mil unidades, baixa de 18,1% e 11,7% frente as 1,8 mil de 2012 e 1,7 mil de outubro de 2013. E as 14,6 mil máquinas até novembro recuaram 5,1% ante as 15,4 mil de período semelhante de 2012.

Vendas e licenciamento

Nas vendas internas de máquinas agrícolas faltam apenas 3 mil unidades para que 2013 passe as 80 mil unidades comercializadas em 1976 e se torne o melhor ano da história: já são 77,2 mil máquinas de janeiro a novembro deste ano, alta de 19,9% sobre as 64,4 mil dos onze primeiros meses de 2012. Em novembro, as 6 mil unidades vendidas mostram acréscimo de 2,4% sobre novembro do ano passado e retração de 17,6% contra outubro deste ano.

Já o licenciamento de autoveículos em novembro, com dois dias úteis a menos, ficou 2,8% abaixo do registrado no mesmo mês de 2012 – foram 302,9 mil unidades comercializadas neste ano e 311,8 mil no ano passado. O acumulado de 2013, com 3,41 milhões de unidades, está 0,8% menor que 2012, que em igual período já marcava 3,44 milhões.

Na visão de Luiz Moan Yabiku Junior, “o resultado de 2013 será, no mínimo, o segundo melhor ano da história em licenciamento, mas será preciso esperar o desempenho de dezembro para saber se este ano ainda poderá superar 2012”. O executivo crê que alguns fatores podem contribuir para o desempenho do último mês do ano:

“A elevação do IPI a partir de janeiro, conforme já sinalizou o Ministro da Fazenda Guido Mantega, elevará os preços dos veículos. Além disso, é importante lembrar também que a incorporação de equipamentos de segurança em todos os automóveis e comerciais leves, além dos aumentos de custos de produção, poderão representar acréscimo nos preços. Em porcentuais decididos por cada  montadora”.

IPI

Segundo dados da Anfavea, cada ponto percentual da alíquota do IPI representa diretamente em aumento de 1,1% no preço do veículo (veja gráfico anexo). Portanto, para tomar como exemplo, caso as taxas do imposto para um automóvel de até 1.000 cc retornem ao seu patamar original a partir de janeiro – o que significa saltar de 2% para 7% - um veículo nestas características pode ficar 5,6% mais caro.

A entidade atualizou ainda suas estimativas de geração de impostos com a redução do IPI, que agora indicam superávit em âmbito federal, estadual e municipal. O Governo Federal deixou de arrecadar R$ 4,9 bilhões desde que a redução do IPI entrou em vigor, em maio de 2012, mas arrecadou R$ 5,0 bilhões com PIS/COFINS. Nas esferas estaduais e municipais, com o IPVA e ICMS, a geração de impostos foi R$ 6,6 bilhões maior.

Fonte: Anfavea




13/12/2013 Tendência

Geely Motors inicia suas operações em janeiro

A Geely Motors do Brasil inicia suas operações de importação e de distribuição da marca chinesa no território nacional em janeiro de 2014, com a chegada do primeiro lote do sedã EC7, montado no Uruguai, por meio da rede autorizada de, inicialmente, 20 concessionárias. Ainda no segundo trimestre do próximo ano, está prevista a chegada do segundo modelo, o subcompacto GC2. Neste momento, a fábrica está perfeitamente apta a produzir o EC7 dentro dos altos padrões de qualidade que a Geely preconiza para todos os seus modelos, sejam eles Geely ou Volvo.

A partir de janeiro, o sedã EC7 virá na versão com câmbio mecânico de cinco marchas, com motor VVT com bloco de alumínio de 1.8 litro. A Geely Motors do Brasil só vai disponibilizar o EC7 completo, com ar condicionado, direção hidráulica, bancos revestidos em couro, acionamentos elétricos, entre outros itens de conforto.  

O início da comercialização do subcompacto GC2 1.0 litro está previsto para o início do segundo trimestre de 2014. O modelo traz, sob o seu capô um moderno e eficiente motor de 3 cilindros.  A Geely Motors do Brasil também trará esse modelo unicamente em sua versão mais completa, com ar, direção elétrica, trio elétrico, airbags, ABS, entre outros itens de conforto e segurança.

A Geely Motors do Brasil vai receber 200 unidades/mês do modelo EC7 e 300 unidades/mês do GC2, ao longo de 2014.

grupo automotivo Geely Holdings Group começou a fabricar automóveis em 1997. A Geely é proprietária da Volvo Cars, da Suécia,  da Manganese Brown, fabricante dos táxis na Inglaterra, e da DSI, da Austrália, uma das maiores fábricas de transmissões automáticas em todo o mundo. O faturamento do grupo Geely, no seu exercício findo em 2013, foi de US$ 24,6 bilhões.

Fonte: Texto Final




16/04/2013 Tendência

Pernambuco recebe a Nordeste Motor Show

 

Entre os dias 25 e 28 de abril de 2013 acontecerá o Nordeste Motor Show, salão internacional de veículos em duas rodas, quatro rodas e náuticos, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Este é o maior evento da Região Nordeste e reúne três grandes vertentes do setor automotivo.

Algumas das atrações são: o projeto Moto Amiga, que oferecerá cursos gratuitos de direção defensiva para motociclistas em parceria com o Detran-PE e também personalidades do esporte sobre duas rodas, que apresentarão demonstrando manobras radicais.

Esta é a primeira edição do evento, que é realizada pela mesma empresa organizadora da Feira do Automóvel de São Paulo. O Nordeste Motor Show surgiu para atender ao contínuo desenvolvimento da região, o que tem levado à alta demanda pelos produtos automotivos.

 

Evento: Nordeste Motor Show

Local: Centro de Convenções de Pernambuco. Av. Professor Andrade Bezerra, s/n , Salgadinho| Olinda – PE.

Data: de 25 a 28 de abril de 2013.

Mais informações em http://www.nordestemotorshow.com.br/

Fonte: Redação Oficina Ideal




28/03/2013 TendênciaTecnologia

FIEE contará com carro 100% elétrico

 

Acontece entre os dias 1º e 5 de abril a Feira Internacional da Indústria Elétrica (FIEE). O evento apresentará novidades sobre meios de transportes alternativos. O chamado “Espaço de Tecnologia Ampliada”, uma das novidades para a edição 2013, irá contar com algumas das mais impactantes inovações propostas pela indústria automobilística. Entre as atrações, o visitante poderá conferir os recursos e tecnologias presentes no primeiro carro totalmente elétrico fabricado em massa, o i-Miev.

Fabricado pela Mitsubishi, o modelo 100% elétrico tem potência máxima de 49kW e atinge 130 quilômetros por hora. A autonomia é de 180 quilômetros, considerado o suficiente para rodar durante todo o dia nas grandes cidades. Para carregar o automóvel, basta conectar o carro a rede elétrica e aguardar oito horas, caso recorra a um posto de abastecimento rápido, todo o processo demorará 30 minutos. Outros tipos de veículo estarão disponíveis na FIEE 2013, como por exemplo, as bicicletas elétricas da Evolubike.

Os organizadores da FIEE esperam que o evento reúna 1.200 marcas nos estandes dos expositores, entre as maiores empresas do setor. O evento vai ocupar os 60 mil metros quadrados do Anhembi e receber cerca de 63 mil visitantes, entre executivos, técnicos e especialistas, representantes de empresas do Brasil e do exterior.

 

27ª FIEE - Feira Internacional da Indústria Elétrica, Eletrônica, Energia e Automação

De 1º a 5 de abril de 2013

Das 13h às 21h / sexta-feira das 13h às 20h

Anhembi - São Paulo-SP

Fonte: Oficina Ideal




04/03/2013 Tendência

Empresa investe em internet para automóveis

 

A Huawei, empresa fornecedora de tecnologia da informação e comunicações, anunciou durante o Congresso Mundial de Comunicações Móveis (Mobile World Congress) de 2013 uma série de produtos que irá inserir a empresa no mercado de soluções para telemática (aglutinação de telecomunicações e informática). Foram apresentados ao público os módulos de comunicações 3G e LTE compatíveis com veículos, que oferecem soluções wireless estáveis para diversos ambientes, em qualquer condição meteorológica, terreno ou confiabilidade de fornecimento.

Soluções

Chamados de MU609T e ME909T, esses são os primeiros módulos de comunicações 3G e LTE da Huawei para veículos. Eles são totalmente adequados à temperatura ambiente de funcionamento e consumo de energia do setor automobilístico. Os módulos já contam com eCall e GPS instalados. Novas tecnologias podem ser agregadas por meio do upgrade remoto. Em nota, a empresa informa que montadoras aprovaram o MU609Te o ME909T e pretendem instalar a nova tecnologia em veículos de suas marcas em um futuro próximo.

Além desses dois módulos, a Huawei também apresentou o DA6810, uma WiFi Box 3G. A tecnologia cria pontos de acesso WiFi 3G em um ambiente móvel para fornecer uma conexão on-the-go (OTG), ou ponto a ponto, de alta velocidade na internet.

Para as seguradoras

Para as empresas de seguro, a Huawei apresentou o DA3100, um sistemas de transferência de dados para diagnósticos a bordo. Com isso, as seguradoras e empresas de gerenciamento de frotas podem obter informações como localização e condições do veículo, além de hábitos do motorista. O sistema transfere informações em tempo real, por meio de uma rede 3G. A plataformas de serviços de telemática, além de permitir que os proprietários dos veículos acionem a buzina, os faróis e as janelas dos carros remotamente utilizando aplicativos para smartphones.

Fonte: Oficina Ideal




04/02/2013 Tendência

Chinesa Rely chega ao Brasil

 

A importadora Venko Motors do Brasil promoveu no último dia 21 de janeiro a estreia da marca Rely no País. Divisão de comerciais leves da Chery, a Rely iniciou suas operações mês passado, prometendo uma rede de 30 concessionárias espalhadas pelo Brasil.

Durante a apresentação realizada à imprensa especializada, Valdir Romero, diretor de Operações da Venko, ressaltou a experiência da empresa com importação de veículos. Isso porque o grupo foi responsável pela chegada da Chery ao Brasil, tendo cuidado da estruturação da marca de 2009 a 2011. Neste período, os empresários responsáveis pela marca afirmam que 106 concessionárias foram inauguradas e mais de 44 mil veículos foram vendidos.

A meta da rede de concessionárias é solucionar 90% dos atendimentos relacionados a fornecimento de peças, que serão enviadas para a rede de concessionárias por um único centro de distribuição, localizado em Salto (SP). Novos pontos de venda serão inaugurados na região Sudeste e nas demais regiões do Brasil ao longo do ano.

Fonte: Quatro Rodas




13/12/2012 Tendência

Cresce frota de veículos Flex Fuel

 

Foram lançados em 2012, no mercado brasileiro, sete carros com a tecnologia Flex Start, desenvolvida pela Bosch. A perspectiva para 2013 é de que pelo menos três modelos adicionais cheguem ao público com esta evolução tecnológica.

O sistema Flex Start dispensa o uso do reservatório auxiliar de gasolina em veículos Flex Fuel, o que, segundo a Bosch, é uma evolução no mercado de automóveis bicombustíveis. Além de não ter mais preocupação em reabastecer o tanque de gasolina, o motorista conta com uma melhor resposta do motor à aceleração, pois o Flex Start é um sistema de gerenciamento eletrônico que controla toda operação de aquecimento do combustível.

A tecnologia permite a partida do motor em baixas temperaturas quando abastecido entre 85% e 100% com etanol. A Bosch ainda salienta que a aplicação do Flex Start traz também benefícios ambientais, já que tem grande potencial em reduzir emissões de poluentes conforme as normas L6 e L7 do Proconve.

"Em uma frota na qual mais de 90% dos carros fabricados são Flex Fuel, o sistema Flex Start deve potencializar o sucesso dos veículos bicombustíveis", ressalta o vice-presidente da divisão Gasoline Systems da Robert Bosch América Latina, Gerson Fini.

Segundo a Bosch, com esta tecnologia o carro passa a ter uma partida mais confiável e o motorista sentirá a diferença no desempenho e dirigibilidade dessa nova geração de veículos.

Fonte: Bosch

1 2 3 4

Home | Portal Colaborativo | Objetivos | Por que se Cadastrar | Perguntas Frequentes | Anuncie em 3D
Fale Conosco | Painel Interativo | Busca por Categoria | Busca 3D

Desenvolvido por House Press Propaganda • Copyrigth 2011 • Todos os direitos reservados
Portal Oficina Ideal • Rua Carneiro da Cunha, 167 Conj. 45 • Saúde • São Paulo SP • CEP 04144-000 • Fone: (11) 5584-6762