OFICINA IDEAL

Encontre aqui seu fornecedor ideal Mais de 2.000 empresas cadastradas, mais de 3.000 produtos e serviços disponíveis
Entidades Colaboradoras
Esqueceu sua senha? Não tem login e senha? Cadastre-se aqui!




14/06/2016 Normas e Legislação

COMUNICADO IMPORTANTE PARA EMPRESAS DE REPARAÇÃO DE VEÍCULOS

O Ministério Público do Estado de São Paulo, órgão da justiça brasileira que fiscaliza o cumprimento das leis, determinou no último mês de abril que o Sindirepa – Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo – comunique ao PROCON casos em que as empresas de reparação automotiva pratiquem alguma das infrações abaixo:

1 - O emprego, na reparação de veículos, de peças e demais componentes de reposição não originais, usados ou que não mantenham as especificações técnicas do fabricante (montadora), tudo em desacordo com as disposições contidas no art. 21 do Código de Defesa do Consumidor;

2 - O fornecimento, pelas seguradoras aos reparadores (credenciados ou não), de valores insuficientes para a aquisição das peças – o que os obrigaria a fazer uso no veículo do consumidor de peças não originais, usadas ou que não mantenham as especificações técnicas do fabricante (montadora) ;

3 - O descumprimento ao direito de livre escolha de oficinas de confiança dos consumidores pelas empresas Seguradoras, em afronta ao Código de Defesa do Consumidor e à Circular SUSEP nº 269, art. 14.

Você cumpre todos esses requisitos? Lembre-se que a medida visa resguarda os direitos do consumidor e garantir que as empresas de reparação cumpram as normas e leis vigentes no País.

Fonte: Sindirepa-SP




10/07/2015 CapacitaçãoDicas de GestãoNormas e LegislaçãoMecânica

Sindirepa e Sebrae lançam cartilha para oficinas mecânicas

O Sindirepa-SP – Sindicato da Indústria da Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo – lançou no último dia 24 de junho, em parceria com o Sebrae-SP, a cartilha “Oficinas Mecânicas” – material que orienta como montar e manter uma oficina que contém informações sobre legislação, instalações e gestão.

Além da cartilha, a iniciativa também oferece Sebrae-SP oferece uma série de capacitações em que as empresas recebem um diagnóstico dos pontos a serem melhorados no negócio. Com base nessa avaliação, de acordo com o sindicato, os empresários podem participar de uma série de ações especificas para melhorar os processos, inovar na gestão e aumentar o faturamento.

“Com a cartilha e as orientações do Sebrae-SP, o empresário tem à mão um guia prático que serve para quem já está no negócio e precisa estar informado sobre as necessidades e também para os que estão iniciando no setor e podem saber das exigências que envolvem a abertura de uma oficina”, revela Antonio Fiola, presidente do Sindirepa-SP.

Para mais informações sobre a cartilha acesse http://www.sindirepa-sp.org.br/.

Sindirepa-SP




03/07/2015 Normas e Legislação

Câmara aprova projeto que cria desmanches legalizados

O plenário da Câmara Federal aprovou, por unanimidade, no dia 5 de junho, o Projeto de Lei 23/2011, que estipula regras para criação de desmontes legais de veículos. O texto, que segue para avaliação do Senado, pretende coibir o comércio de peças automotivas roubadas. Uma das justificativas da proposta é de que a lei vai permitir também a diminuição no valor das peças usadas e vai baratear o custo da reparação dos veículos nas oficinas.

Segundo o autor do projeto, deputado Armando Vergilio (PSD-GO), pesquisas recentes mostraram que 400 mil carros são roubados ou furtados anualmente no Brasil. Apenas pouco mais da metade é recuperada. O restante abastece os desmanches espalhados por todo o território nacional e o comércio ilegal de peças.

Ele assegura que o projeto vai proteger centenas de milhares de pessoas ao reduzir a criminalidade, pois as quadrilhas terão muita dificuldade para repassar os veículos roubados ou furtados. Também serão gerados novos empregos formais, nas oficinas legais que serão criadas, aumentando ainda a arrecadação de impostos.

Outra consequência natural será a redução do custo na reparação de veículos com a possibilidade de utilização de peças usadas, porém certificadas. “Em outros países, os resultados foram imediatos. Na Argentina, por exemplo, um ano após a criação dos desmanches legais, o índice de roubos de automóveis caiu 50%”, destaca Vergilio.

O deputado acrescenta que o proposta vai ainda viabilizar o seguro popular de automóvel, que poderá ter preços até 30% menores do que o produto tradicional, ao permitir a utilização de peças recondicionadas. “Esse novo produto poderá atingir 20 milhões de automóveis com mais de cinco anos de idade, que, atualmente, trafegam pelas ruas e estradas brasileiras totalmente desprotegidos”, aponta.

A proposta também pretende convencer pela questão ambiental e argumenta que haverá redução de danos causados pelo descarte desordenado, pelos desmanches irregulares de baterias, carcaças de veículos e fluídos de freios e motor.

O projeto ainda tornará obrigatória a baixa de registro da peça reutilizada perante o órgão responsável, aliada a um rígido controle pelo Estado. Dessa forma, será possível identificar todas as peças automotivas, permitindo rastreamento individual.

Fonte: Sindirepa




14/05/2015 Normas e Legislação

Itens de segurança do caminhão serão avaliados na Dutra

O programa Caminhão 100%, desenvolvido pelo GMA – Grupo de Manutenção Automotiva, em parceria com o Grupo CCR Nova Dutra, que tem como finalidade conscientizar motoristas de caminhões sobre a importância da manutenção preventiva, ampliou os itens de segurança a serem verificados nas avaliações mensais gratuitas que acontecem na Rodovia Presidente Dutra. Além da parte mecânica (vazamentos, medição de emissão de gases, cubos de rodas, nível e qualidade dos fluidos de freio e embreagem), serão checados faróis, lanternas, piscas, iluminação de placa e interna, limpador de parabrisa, extintor de incêndio, pneus e buzina.

Desde a sua criação, em 2008, já foram promovidas mais de 27avaliações gratuitas em mais de 2,3 mil caminhões em diversos pontos da rodovia, onde foram checados vários componentes da parte mecânica e de segurança.

As avaliações gratuitas acontecem dois dias ao mês em vários pontos na Rodovia Presidente Dutra, das 15 h às 18 h.

As próximas datas de fiscalização serão  22 e 23 de maio.

Fonte: Sinsirepa




16/01/2015 Normas e Legislação

Ação digital busca conscientizar motoristas sobre uso do cinto de segurança

A Arteris, companhia de concessões rodoviárias do País, promoveu uma ação para conscientizar os motoristas que trafegam nas estradas administradas pelas nove concessionárias do grupo. Ao parar em postos de gasolina ou de conveniência, uma mensagem via celular incentivou usuários a usarem o cinto de segurança antes de prosseguir viagem.

Cerca de 9 mil pessoas foram impactadas pela campanha realizada no final de dezembro e início de janeiro e integra a mobilização promovida pela Artesp em prol do uso do cinto de segurança no banco traseiro. A Arteris também instalou 68 faixas nas rodovias e distribuirá 315 mil folhetos nas praças de pedágio.

“Os números mostram que este trabalho é mais do que necessário, é vital”, afirma o gerente de operações da Arteris, Elvis Granzotti. “Segundo levantamento que promovemos no mês de dezembro em nossas concessionárias, 16 em cada 100 motoristas ainda dispensam o uso do cinto, aumentando o risco de fatalidades mesmo em colisões leves. Um dado importante evidencia isso: 30% dos ferimentos fatais em colisões são causados porque a vítima bate o tronco contra o volante”, alerta.

Uma pesquisa divulgada pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), aponta que o índice é ainda maior quando se trata dos passageiros do banco do traseiro: 53% abrem mão do dispositivo de segurança, número semelhante ao registrado em pesquisa realizada nas rodovias Arteris. “Os passageiros acham que estão seguros no banco de trás dos automóveis, mas é uma falsa sensação. Uma em cada cinco mortes acontece pelo choque de pessoas dentro do veículo que não utilizavam o cinto”.

No celular

Além da instalação de 68 faixas e distribuição de 315 mil folhetos nas praças de pedágio, a Arteris investiu em uma estratégia inovadora para impactar os motoristas e incentivar o uso do cinto de segurança. “A parada nos postos é rotina para muitos motoristas e é também um momento seguro para o uso do celular. Identificamos então uma oportunidade para abordar os motoristas de forma inusitada e criativa”, explica a gerente de comunicação e marketing da Arteris, Alessandra Vasconcelos.

A partir de uma plataforma de geolocalização, os usuários foram contatados via SMS com a mensagem Cinto de Segurança, não dê a partida sem ele. “A estratégia é mais uma ação em prol da segurança viária, um dos pilares da Arteris, e vai além da comunicação tradicional. Conscientizar o usuário é uma forma eficiente de preservar a vida”, afirma Alessandra.

Dados da Artesp sobre a quantidade de vítimas de acidentes nas rodovias sob concessão que não usavam cinto de segurança apontam para a necessidade de constantes campanhas de conscientização dos motoristas e passageiros. De 2012 até outubro de 2014, 69,4% dos passageiros de bancos traseiros que morreram em acidentes nas rodovias estavam sem cinto de segurança. As vítimas fatais no banco da frente de passageiro sem cinto chegam a 38,4% e 50,1% dos motoristas.

Fonte: Oficina Ideal




09/12/2014 Normas e LegislaçãoMontagemNormatização

Denatran apresenta novo modelo de placa para identificação veicular

O novo modelo de placas veiculares que será utilizado no País foi apresentado dia 4 de dezembro pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A mudança, que vale para todos os países do Mercosul – órgão internacional formada por Argentina, Uruguai, Paraguai, Venezuela e Brasil –, começa a valer a partir de janeiro de 2016.

Estas placas passarão a ter quatro letras e três números, que poderão ou não estar embaralhados (parecido com o modelo da Europa) e terão cores diferentes de acordo com o tipo do veículo: preta (veículos de passeio), vermelha (veículos comerciais), azul (carros oficiais), verde (veículos em teste), dourada (carros diplomáticos) e prateada (carros de colecionadores).

As placas terão também uma marca d’água com o nome do país e a palavra “Mercosul” sobre as letras. Estas mudanças estão sendo aplicadas com o intuito de dificultar ações criminosas como a falsificação de placas e também a clonagem de veículos.

As modificações também ajudarão a ampliar o número de combinações. Com o modelo brasileiro atual, é possível formar apenas 175 milhões de placas diferentes, após essas alterações as possibilidades aumentarão para 450 milhões de combinações únicas.

Para melhor identificação do automóvel, estarão gravados nas placas o nome e a bandeira do País de origem, além dos brasões do Estado e da cidade em que o veículo está registrado. A única característica que não sofrerá alteração será o tamanho: 40 cm de comprimento por 13 cm de largura.

Oficina Ideal e Comunicação Social das Cidades




25/06/2014 Normas e Legislação

Baterias automotivas devem ter selo de identificação do INMETRO

Passou a ser obrigatório desde o dia 18 de junho que todas as baterias automotivas comercializadas tenham o selo de Identificação da Conformidade do INMETRO. Com esta medida o órgão busca eliminar baterias que são fabricadas com características inferiores àquelas que constam nas etiquetas.

Para que os consumidores fiquem atentos na hora de comprar baterias automotivas, a Heliar, fabricante de baterias de chumbo ácido para veículos com motores elétricos, criou uma lista com dicas para ajudar na hora da compra deste tipo de material. Confira:

- A bateria deve conter o selo do INMETRO;

- O selo indica que a bateria está de acordo com as informações detalhadas no produto;

- Dê preferência a baterias de marcas conhecidas;

- Fique atento a qualidade da fabricação, o tempo de validade da garantia e outros serviços disponíveis oferecidos pelo fabricante como, por exemplo, assistência 24 horas;

- O produto deve conter as mesmas características do modelo original do veículo;

- No site da Associação Brasileira de Baterias Automotivas e Industriais (ABRABAT) é possível verificar se existe alguma irregularidade no produto (www.abrabat.com.br).

A companhia decidiu também por exemplificar o significado de cada um dos símbolos usados na produção dos selos, acompanhe:

Ah – Ampère/hora é a medida da capacidade de armazenamento elétrico que a bateria deve proporcionar em descarga, nas partidas e na alimentação do sistema elétrico;

CCA – Corrente de partida a frio ou corrente de arranque, indica a corrente máxima que a bateria pode fornecer na partida, principal função do produto no veículo. Quanto maio for o CCA, melhor será o desempenho da bateria;

RC – Reserva de Capacidade determina o tempo (em minutos) que uma bateria plenamente carregada pode fornecer 25 Ampères até uma tensão final de 10,5Volts.

Fonte: Redação Oficina Ideal!




02/06/2014 Normas e Legislação

Lei do Desmonte é sancionada e deve entrar em vigor em um ano

A edição de 20/05/2014 do Diário Oficial da União publicou a sanção da presidente Dilma Rousseff à Lei nº 12.977, que regula e disciplina a atividade de desmontagem de veículos automotores terrestres. A lei entrará em vigor um ano após a publicação.
 
Essa lei deriva do projeto elaborado pelo deputado Armando Vergílio (SD-GO), segundo o qual as novas regras protegem centenas de milhares de pessoas, pois as quadrilhas terão muita dificuldade para repassar os veículos roubados ou furtados. No ano passado, cerca de 470 mil veículos foram roubados ou furtados no Brasil e apenas a metade foi recuperada.
 
Vergílio, que é presidente da Fenacor, acrescenta que a lei vai melhorar tanto a segurança publica quanto a violência no trânsito. "Na medida em que não houver um mercado ilegal demandando peças, e sim um segmento regulado, estritamente fiscalizado pelo Estado, a segurança pública será melhorada sensivelmente", observa o parlamentar.
 
Outras vantagens apontadas pelo deputado Armando Vergílio são a possibilidade de geração de novos empregos formais nas oficinas legais que serão criadas e o consequente aumento da arrecadação de impostos, além da redução no custo da reparação de veículos com a possibilidade de utilização de peças usadas, porém certificadas.
Fonte: Redação Oficina Ideal




01/03/2013 Normas e Legislação

Chery já está habilitada no Inovar-Auto

 

A Chery, montadora chinesa que chegou ao Brasil em 2009, já está habilitada no Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto), que concede 30% de desconto no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros fabricados e vendidos em território brasileiro.

Com a habilitação, a Chery é autorizada a vender e montar seus veículos no Brasil e também poderá investir no desenvolvimento de novas tecnologias com relação à segurança e eficiência energética, entre outros. A empresa também poderá usufruir de parte de seu IPI recolhido atualmente a partir do momento que sua fábrica (ainda em construção) estiver operando na cidade de Jacareí (SP).

O lançamento de seu primeiro carro nacional está previsto para 2014. Na primeira fase, a fábrica do interior paulista terá capacidade para produzir 50 mil carros/ano. Até 2015 esse número será elevado para 150 mil carros/ano.

A empresa tem como meta conquistar 3% do mercado nacional até o fim de 2013, vendendo ao menos 50 mil automóveis no decorrer ano.

Fonte: Oficina Ideal




22/02/2013 Normas e Legislação

Componentes para reposição só podem ser comercializados com selo do Inmetro

 

De acordo com a portaria n° 301, publicada em 21 de julho de 2011 pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), desde o início de 2013 a fabricação e importação de peças de reposição específicas devem ter a certificação e o selo do órgão. De acordo com a resolução, a comercialização destas peças no varejo será obrigatória a partir de julho de 2014.

Em 2011, a exigência de certificação passou a vigorar sobre os catalisadores automotivos (veja matéria) e anteriormente sobre vidros e pneus. Neste ano, lâmpadas para veículos automotivos, bronzinas, amortecedores de suspensão, bombas elétricas de combustível para motores do ciclo otto, anéis de pistão, pinos e anéis de trava (retenção), pistões de liga leve de alumínio e buzinas ou equipamentos similares utilizados em veículos rodoviários automotores, deverão estar devidamente certificados pelo Inmetro.

As peças do automóvel que vêm de fábrica não vão precisar da certificação, visto que os fabricantes de veículos respeitam normas internacionais de produção. Mas, se em meados de 2014 um consumidor buscar alguma destas peças de reposição contempladas pela nova resolução na própria concessionária, por exemplo, o produto deverá estar devidamente certificado.

De acordo com o Grupo de Manutenção Automotiva (GMA), é provável que nos próximos anos mais peças automotivas também exijam a certificação do órgão, pois os próprios fabricantes dos produtos acreditam que ela traz benefícios.

Fonte: Reed Exhibitions Alcantara Machado

1 2

Home | Portal Colaborativo | Objetivos | Por que se Cadastrar | Perguntas Frequentes | Anuncie em 3D
Fale Conosco | Painel Interativo | Busca por Categoria | Busca 3D

Desenvolvido por House Press Propaganda • Copyrigth 2011 • Todos os direitos reservados
Portal Oficina Ideal • Rua Carneiro da Cunha, 167 Conj. 45 • Saúde • São Paulo SP • CEP 04144-000 • Fone: (11) 5584-6762